Lula defende política social em visita ao interior do RS

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu a política social de seu governo numa rápida visita hoje a Santa Cruz do Sul, município da região central do Rio Grande do Sul. Em discurso, ele destacou que, em quase oito anos de governo, investiu R$ 14 bilhões em linhas de energia para atender famílias de baixa renda. Lula também destacou os programas de financiamento para agricultor rural e programas de transferência de renda.

LEONENCIO NOSSA, ENVIADO ESPECIAL, Agência Estado

29 Julho 2010 | 18h43

A visita do presidente à localidade teve como objetivo atender pedidos de candidatos petistas da região. Lula foi econômico no discurso, evitando comentários partidários e eleitorais. Num evento no centro de exposições no interior do município, ele entregou a pequenos agricultores chaves de caminhões e tratores financiados pelo governo.

No discurso, Lula causou constrangimento em parte da sua comitiva ao confidenciar que a presidente da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Coelho, presente ao evento, comentou que os pobres da região, colonizada por imigrantes alemães no século 19, eram bonitos. "Ela disse: ''nossa, como os pobres daqui são bonitos''", contou. "Qualquer nordestino que vem para cá vê uma diferença enorme", completou o presidente. Maria Fernanda é pernambucana como Lula.

O presidente disse que isso ocorre porque ali sempre puderam comer, ignorando que a região do Rio Grande do Sul sempre foi uma região de muita pobreza. "Tenho uma máxima: comeu, ficou bonito. Não comeu, não ficou bonito". Em tom mais de brincadeira, completou: "nordestino bonito, eu sou uma exceção. A Maria Fernanda, se for para outras regiões do Rio Grande do Sul, vai pensar que está na Alemanha". "É isso que acontece, Maria Fernanda. O Sul e o Sudeste tiveram oportunidade de comer", completou.

Lula, no final do discurso, disse que ao deixar a Presidência não vai esquecer dos verdadeiros companheiros. "Eu sei quem gosta de mim apenas porque sou presidente. Mas sei também de quem gosta de mim mesmo se eu não fosse presidente", disse. O presidente seguiu de helicóptero para Porto Alegre no final da tarde, onde participará à noite de um comício da candidata à Presidência, Dilma Rousseff (PT).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.