Lula defende medidas para acabar com o sofrimento de milhões

O presidente Luis Inácio Lula da Silva defendeu hoje mecanismos para atenuar o subdesenvolvimento e acabar com o "sofrimento de milhões de pessoas" no mundo todo, em mensagem lida pelo chanceler Celso Amorim numa conferência internacional em Paris.O ministro das Relações Exteriores do Brasil leu a mensagem de Lula hoje, no ato inaugural de uma conferência internacional, na qual cerca de cem países e dezenas de organizações debaterão novas vias para arrecadar fundos para lutar contra doenças como a aids, a tuberculose e a malária.Na mensagem, Lula lamenta que, por problemas de agenda, não tenha podido deslocar-se até Paris para assistir à conferência e lembra que a busca de novos métodos para financiar o desenvolvimento é uma idéia lançada pelo Brasil, junto ao Chile e ao secretário-geral da ONU, Kofi Annan.Trata-se agora de "passar à prática", segundo o presidente brasileiro, que afirma que no Brasil já foram dados alguns passos para encontrar vias inovadoras para financiar o desenvolvimento.Neste sentido, diz que o Governo brasileiro já adotou medidas para que se torne uma realidade permanente a possibilidade de aplicar uma taxa adicional às passagens de avião.ApoioO presidente também expressa seu apoio, "com entusiasmo", à iniciativa do Reino Unido de promover a vacinação para combater doenças como a malária nos países que solicitarem."O acesso à saúde é indispensável para ter um trabalho digno", segundo o texto de Lula lido por Amorim, no qual o presidente afirma que avançar nesses objetivos "não é utópico".Sobre a conferência de Paris, que termina amanhã, Lula espera que o encontro possa detalhar ações para a ajuda ao desenvolvimento e que vários países possam unir-se a tais medidas."Não se pode esperar mais. Precisamos dar uma resposta de imediato", segundo o presidente brasileiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.