Lula defende Lupi e diz que não houve favorecimentos

Ministro do Trabalho é acusado de beneficiar ONGs ligadas ao PDT, presidido por ele

Agência Brasil

28 de fevereiro de 2008 | 18h13

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu nesta quinta-feira, 28, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, acusado de favorecer organizações não governamentais ligadas ao PDT, partido que o ministro ainda preside. O presidente afirmou que não houve favorecimento na liberação de verbas do ministério para organizações ligadas ao PDT. De acordo com Lula, se houvesse favorecimento, o PSDB não teria sido o partido que mais recebeu recursos com os convênios. Veja também: Lula defende Lupi e diz que não houve favorecimentosLupi cancela 3 convênios com ONGs e nega acusaçõesCGU investigará Ministério do Trabalho  "Se você pegar os partidos políticos você vai perceber que o PSDB recebeu R$ 102 milhões com os convênios, o PT recebeu, acho que (R$) 92 milhões, ou seja, ele está mostrando o comportamento mais republicano que um ministro tem mostrado, você não atende as pessoas, você atende a população", afirmou ao falar com jornalistas em Quixadá, no Ceará.  O ministro Lupi está sendo criticado porque teria assinado um contrato de cerca de R$ 15 milhões com o Instituto de Educação e Pesquisa Data Brasil, uma organização supostamente ligada ao PDT. No início dessa semana a Comissão de Ética Pública da Presidência da República decidiu pedir esclarecimentos ao ministro do Trabalho sobre as denúncias de irregularidade em sua administração. Lupi deve dar sua versão dos fatos 10 dias depois de recebida a notificação, conforme procedimento da Comissão de Ética.A mesma comissão julga incompatível que Lupi continue na presidência do PDT após ter assumido o ministério.

Tudo o que sabemos sobre:
Carlos Lúpiministro do TrabalhoONGs

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.