Lula defende livre comércio entre Mercosul e Equador

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, no Palácio do Itamaraty, que o Brasil defenderá um acordo de livre comércio entre o Mercosul e o Equador. A afirmação foi feita em entrevista que ele deu ao lado do presidente do Equador, Lucio Gutiérrez, que está em visita oficial ao Brasil. Na entrevista, Lula e Gutiérrez anunciaram pontos de cooperação entre os dois países, e Lula informou que o Banco Nacional de Desenvoivmento Econômico e Social (BNDES) poderá financiar projetos no país vizinho, como o de construção da hidrelétrica de San Francisco. Gutiérrrez garantiu apoio de seu país ao projeto brasileiro de ocupar uma vaga no Conselho de Segurança da Organização das nações Unidas (ONU), caso este conselho seja reformulado. O Equador é o 7º país sulamericano a apoiar a candidatura brasileira. Antes da entrevista, Lula ofereceu almoço ao visitante, no Itamaraty. Quando Lula estava discursando no encontro, perueiros de Goiânia, que faziam uma manifestação no gramado localizado do outro lado da pista do Eixo Monumental próxima ao Itamaraty, chamaram o presidente brasileiro. Foi preciso que funcionários do Itamaraty fechassem os vidros do Palácio para que o presidente pudesse discursar. Em seu discurso, Lula defendeu a troca de experiências bem sucedidas na área de políticas públicas entre os dois países, oferecendo cooperação em projetos de combate à aids e à fome.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.