Lula defende ações que garantam emprego

Em reunião com ministros, o presidente falou sobre a crise e os desafios do governo para combater seus efeitos

Leonencio Nossa, de O Estado de S. Paulo,

20 de fevereiro de 2009 | 20h02

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitou a reunião de nesta sexta-feira, 20, com 14 ministros da área social do governo, no Palácio do Planalto, para defender ações que garantam o emprego. No encontro, Lula ouviu os ministros sobre programas de suas pastas. Em uma intervenção, o presidente falou sobre a crise e os desafios do governo para combater seus efeitos. Veja também: De olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise Ainda no encontro, Lula voltou a demonstrar desapontamento com a decisão da Embraer de demitir 4.270 funcionários. Um ministro que participou do encontro disse que o governo como um todo avaliou que a empresa poderia discutir antes de tomar uma decisão. "Quando uma empresa precisa do governo, ela procura. Mas, quando vai tomar uma decisão como esta, de demissões, não procura. A empresa deveria, pelo menos, procurar o governo para conversar, antes de tomar a decisão", disse esse ministro à Agência Estado. A declaração dele expressa o clima de hoje no Planalto. O governo avalia que os programas da área social estão sendo executados dentro do previsto. A reunião, segundo esse ministro, foi de trabalho e foi uma forma de um ministro saber o que o outro está fazendo. Lula, daqui para frente, pretende fazer encontros separadamente com os ministros para acompanhar o andamento das ações. O presidente sempre costuma ressaltar para seus auxiliares que os programas das áreas sociais e as obras previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) não sofrerão cortes orçamentários.

Tudo o que sabemos sobre:
Luiz Inácio Lula da Silvaministros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.