Lula decide manter reajuste de servidores, diz Bernardo

Governo quer evitar desgaste político de uma suspensão, que foi cogitada devido à queda na arrecadação

Reuters,

03 de julho de 2009 | 13h19

O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo, afirmou nesta sexta-feira, 3, que a orientação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva é manter o reajuste do funcionalismo público previsto para este mês. Ele disse que a decisão sobre eventuais cortes no Orçamento deste ano ainda não foi tomada.

 

"O presidente orientou que nós façamos o cumprimento dos acordos. Para 2009, nós continuamos analisando a situação (do Orçamento) e temos até o dia 20 de julho para tomar decisões que serão enviadas em relatório (de reprogramação de despesas e receitas) ao Congresso Nacional", disse a jornalistas.

 

Na véspera, a Reuters já havia antecipado que a equipe econômica estava decidida a manter o reajuste de servidores para evitar o desgaste político de uma suspensão - que chegou a ser cogitada diante da queda de arrecadação provocada pela crise global.

 

O aumento, extensivo a várias categorias de servidores, está prometido desde 2008, quando foi acordado um reajuste salarial escalonado em três anos. O impacto do aumento deste ano sobre a folha é de R$ 6 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.