Lula culpa oposição pela ausência do PAC Saúde

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem, em Florianópolis, que o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Saúde não pôde ser lançado pelo governo federal devido à ausência de prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Lula culpou a oposição pelo fim da cobrança, mas garantiu que não abrirá mão nenhum outro programa por falta de recursos da CPMF. "A oposição trabalhava com a seguinte idéia", afirmou Lula, "não podemos votar a CPMF porque senão vamos dar mais R$ 120 bilhões para o presidente Lula até 2010 e aí ele vai fazer o seu sucessor". E completou: "Não me prejudicaram em nada, prejudicaram foi o povo pobre deste País". Segundo o presidente, a previsão de receita com o imposto em 2008 era de cerca de R$ 40 bilhões - R$ 24 bilhões destinados à saúde.O presidente participou ontem à noite da cerimônia de lançamento do programa de revitalização do Morro da Cruz e da assinatura dos termos de doação de telecentros a municípios de Santa Catarina. As informações são da Agência Brasil.

CARINA URBANIN, Agencia Estado

21 de março de 2008 | 08h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.