Lula culpa antecessores por criminalidade juvenil

Depois de comparar presos políticos a "bandidos", o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje (12) à noite em Londrina que os seus antecessores são os responsáveis pelo alto índice de jovens envolvidos com o crime no País.

SILVIA AMORIM, ENVIADA ESPECIAL, Agencia Estado

12 de março de 2010 | 21h21

"Nós passamos 25 anos sem a economia crescer. Tem muito jovem que a gente vê hoje na televisão sendo preso, bandido, que é resultado de políticas econômicas irresponsáveis que não permitiram que esse País crescesse. Enquanto os governantes que fizeram a política estão soltos, a meninada inocente que é vítima está presa e condenada porque não tiveram oportunidade", afirmou, ao ressaltar avanços econômicos no seu governo. "Nós aprendemos a resolver os problemas deste País", emendou.

Acompanhado da ministra da Casa Civil e pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, o presidente voltou a criticar a imprensa. "Temos uma cultura um pouco complicada. Alguns setores da imprensa costumam publicar desgraça o dia inteiro. E o mais triste é que milhões de coisas boas que acontecem não aparecem em lugar nenhum", disse. "Eu venho aqui para mostrar o outro lado da moeda. O Brasil que funciona, que desperta numa multinacional o interesse de fazer investimentos"

Lula e Dilma participaram hoje em Londrina da assinatura de convênios para a construção de 656 casas pelo programa Minha Casa, Minha Vida. Os dois também prestigiaram a inauguração de empresa de call center do grupo Portugal Telecom. O tom eleitoral no evento foi dado pelo prefeito de Londrina, Romero Barbosa Neto (PDT). "O Brasil vai continuar avançando. Brasil para frente, Dilma presidente", entoou do palanque, ao final do seu discurso.

Dilma fez um discurso moderado, sem críticas aos adversários e voltado a divulgar as bandeiras do governo Lula, como o Minha Casa Minha Vida, o ProUni e o Ensino Profissionalizado. "Nós criamos 39 centros de ensino técnico aqui no Paraná, construímos ou reformamos", afirmou. "Acreditamos que os jovens preparados nas escolas técnicas são essenciais para que o Brasil cresça."

Mais conteúdo sobre:
LulaPRviolênciajovens

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.