Lula: CSLL aumentou por causa dos lucros bancários

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no seu programa semanal de rádio "Café com o Presidente", disse que o alto lucro dos bancos justificou o aumento da alíquota da Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL), uma das medidas adotadas para compensar o fim da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). "Os bancos têm tido lucros maiores e, por isso, podem pagar mais imposto. Os banqueiros não reclamaram. Não reclamaram por quê? Porque os bancos tiveram muito lucro nesses últimos anos. Agora que os bancos estão ganhando, eles vão poder pagar um pouco mais. Nós resolvemos taxar o lucro líquido desses bancos", afirmou o presidente.Lula explicou que além de reajustar a CSLL, o governo aumentou também o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), que incide, por exemplo, nos empréstimos. Com essas mudanças, o governo, segundo Lula, quer arrecadar R$ 10 bilhões. O Orçamento da União terá corte de R$ 20 bilhões."Tranqüilidade"No programa de rádio, o presidente reiterou que 2008 será um ano melhor do que 2007 e citou obras em andamento, como a transposição das águas do rio São Francisco. "O povo brasileiro está mais confiante no Brasil. O governo está tranqüilo com as coisas que estão acontecendo. Nós fizemos sacrifício no primeiro mandato para poder garantir a tranqüilidade que podemos oferecer ao povo brasileiro hoje. Nós, certamente, estaremos sempre muito vigilantes para que a gente não permita que haja nenhum desvio nas metas que já traçamos para chegar a 2010", disse o presidente.Ele salientou ainda que o corte de R$ 20 bilhões no Orçamento da União, uma das medidas para compensar a perda da CPMF, atingirá os três poderes - Executivo, Legislativo e Judiciário - e assegurou que os investimentos nas áreas de Saúde, Educação e os programas sociais serão preservados."Os programas sociais serão mantidos. A segunda coisa é que a Educação é condição fundamental para que o Brasil dê um salto de qualidade. Para o Brasil melhorar definitivamente e transformar-se em uma grande nação, em uma grande potência, o Brasil precisa investir muito em Educação", disse Lula. O presidente apontou metas do governo para a área de Educação, como a instalação de 214 escolas técnicas, 48 extensões universitárias, três universidades e 450 creches, além de levar internet gratuita em alta velocidade para 55 mil escolas públicas até 2010.Segundo ele, o corte de gastos atingirá não só as contas do Executivo, mas também do Legislativo e Judiciário. "Nós resolvemos com muita seriedade e com muita tranqüilidade, primeiro, anunciar ao Brasil que nós temos que cortar na veia outra vez, ou seja, temos que cortar os gastos. Isso vale para o Poder Executivo, vale para o Poder Judiciário e vale para o Poder Legislativo", salientou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.