ED FERREIRA/AE
ED FERREIRA/AE

Lula critica governos passados por descaso com São Francisco

Transposição do Rio São Francisco foi pensada em 1847 e quase 200 anos depois, não conseguiu andar, afirmou

Agência Brasil,

14 de outubro de 2009 | 13h42

Ao participar nesta quarta-feira, 14, do evento que marcou o início a viagem por quatro estados para vistoriar as obras de revitalização e integração do Rio São Francisco, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva garantiu que o projeto não será deixado pela metade, criticando governantes anteriores.

 

"Essa obra foi pensada em 1847. Quase 200 anos depois, não conseguiu andar, porque tivemos muitos governantes de duas caras, que prometiam fazer a obra em um estado e não faziam e prometia não fazer em outro estado", disse durante discurso em Buritizeiro, município de Minas Gerais.

 

Lula afirmou que não é possível tirar água do Rio São Francisco para matar a sede de 12 milhões de nordestinos sem antes recuperá-lo e citou ações como o reflorestamento para recuperar as matas ciliares e o tratamento de esgoto para evitar a contaminação do rio.

 

Veja Também

linkVistoria de obras de Lula vira roteiro eleitoral no São Francisco

linkPara Lula, Dilma e Ciro têm vocação para 'carreira solo'

linkJosé Serra vê falta de investimento em irrigação no Nordeste

 

Em Buritizeiro, Lula começou a viagem, que vai durar três dias. Após Minas Gerais, o presidente segue para Barra, na Bahia, e inspeciona defletores e pontos de dragagem e controle de processos erosivos às margens do São Francisco a bordo de um navio - o Agência Flutuante Saldanha Marinho - da Marinha do Brasil.

 

Ainda hoje, Lula chega a Arco Verde, município pernambucano, onde visita o canteiro de obras em que são realizados trabalhos noturnos com perfuratrizes e passa a noite em acampamento. A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, acompanha o presidente Lula nas vistorias.

Tudo o que sabemos sobre:
LulaobrasSão FranciscoDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.