Lula critica FHC por "equívocos do passado"

Pelo terceiro dia seguido, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva rebateu as críticas do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Na abertura da conferência internacional Democracia, Participação Cidadã e Federalismo, em Brasília, sem citar nomes, Lula disse que "responsáveis por equívocos do passado hoje se arvoram sabedores do que fazer". Na segunda-feira, numa palestra em São Paulo, Fernando Henrique chamou o governo de "incompetente". Lula disse que o infortúnio dos anos 90, em grande parte, não foi obra da fatalidade, mas um engessamento voluntário das instituições e do Estado, a tal ponto que a democracia perdeu a credibilidade como poder regulador e a política, a prerrogativa transformadora da sociedade. "Para a América Latina, esse processo significou um trágico empobrecimento. O PIB (Produto Interno Bruto) per capita ainda não recuperou os níveis de 1997, ou seja, são sete anos de estagnação e retrocesso na renda da população." O presidente citou como exemplo do que considera engessamento a época em que brasileiros comemoravam a paridade cambial do real e do dólar, assim como argentinos, a do peso. "Como mentira tem perna curta, nem um real valia um dólar nem um peso, um dólar. Quando a economia se ajustou, todos sofremos e perdemos muito. Agora, temos obrigação de, com muita responsabilidade, recuperar não só a consciência do povo na nossa economia, na nossa democracia, mas fazermos as políticas sociais que foram a razão pela qual todos chegamos ao poder."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.