Lula critica empresários que reclamam do juro elevado

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a criticar na noite desta quarta-feira os empresários que reclamam das altas taxas de juros. "A verdade dura e verdadeira é que nós temos no Brasil juros altos, mas a verdade dura e verdadeira é que hoje nós temos as taxas de juros Selic mais baixas dos últimos dez anos", afirmou o presidente na sede da Federação das Indústrias do Distrito Federal (Fibra), em solenidade de inauguração de uma cooperativa de crédito voltada para industriais.Ao ouvir o discurso em que o presidente da Fibra, Antonio Rocha da Silva, afirmava que a cooperativa vai crescer, porque atrás dela existem "empresários de muita garra que cansaram de chorar pelos juros altos", Lula mostrou-se impaciente. Ao discursar, o presidente disse: "Durante toda a minha vida, eu nunca fui do tipo de ficar chorando as coisas que eu queria que acontecessem. Em vez de ficar lamentando, eu tentava fazer as coisas acontecerem".Segundo Lula, "não é possível baixar a taxa de juros se o governo não tiver força política para colocar seus títulos e impor o preço de juros que ele possa atender a suas necessidades e atender às necessidades do setor financeiro", disse. Em seguida, ele fez uma critica indireta ao primeiro mandato do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, quando R$ 1 equivalia a US$ 1. "É por isso que nós tivemos há pouco tempo a nossa dívida interna dolarizada, o que fez com que o País tivesse a vulnerabilidade que jamais teve em toda a sua história", disse.O presidente voltou a afirmar que no ano passado não inventou plano Lula ou plano Palocci. "Eu resolvi fazer o que um governo tem que fazer, que é conquistar credibilidade entre seus interlocutores para que possa estabelecer novas regras de funcionamento da economia", disse. O presidente avaliou, como fez na terça-feira, que o que aconteceu em 2003 na economia foi "um milagre" e previu que esse "milagre" vai continuar acontecendo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.