Lula critica DEM e diz que tucanos vão votar a favor da CPMF

Em entrevista à TV, presidente afirma que PSDB deve 'refletir' sobre tributo porque tem 'perspectiva de poder'

28 de novembro de 2007 | 21h37

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou o DEM (ex-PFL) e cobrou responsabilidade do PSDB na votação da emenda que prorroga a CPMF até 2011 no Senado, em entrevista à Rede TV, nesta quarta-feira, 28. "O PFL (hoje DEM) tem toda a razão de radicalizar. Não tem perspectiva de poder", disse. Mas o PSDB, segundo ele, vai "meditar e refletir". "O PSDB governa os dois Estados mais importantes do País (São Paulo e Minas). Eles têm interesse no dinheiro da CPMF. Dinheiro que vai para a Saúde, para o Bolsa-Família. O PSDB tem perspectiva de poder. É o que tem mais candidato a presidente da República", afirmou.  Veja também:  Entenda a cobrança da CPMF  Para evitar derrota da CPMF, governo monta 'sala de situação'Lula diz que a emenda da CPMF 'vai passar' no Senado O presidente acredita que a CPMF vai passar no Senado também com ajuda dos votos tucanos. "Tenho certeza que vai ser aprovada". Lula negou a liberação de emendas aos parlamentares em troca de votos favoráveis à CPMF.  Ainda sobre a CPMF, Lula disse em entrevista ao SBT Brasil também nesta quarta-feira que o governo tem maioria se o tributo fosse votado hoje. "E terá maioria quando for votada. Todos os senadores sabem o que significa a CPMF para os Estados, que não podem prescindir da CPMF, nem o governo federal. Venezuela Lula disse não estar preocupado com o fato de a Venezuela estar se armando e diz que o grande problema é o Brasil. "Isso não me preocupa. Precisamos respeitar a soberania de cada país e Chávez (Hugo Chávez, presidente venezuelano) sabe disso. O país é grande parceiro nosso. O grande problema é o Brasil, e não Venezuela, que permitiu que seu sistema se deteriorasse", disse. O presidente afirmou ainda que agora está tentando recuperar a indústria armamentista do País. IDH Lula disse que o fato do Brasil estar em 70° lugar na lista de países com os melhore Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) é resultado de suas políticas públicas. "É motivo de orgulho chegar onde chegamos", disse, acrescentando que os índices de 2006 e 2007 também estarão melhores. Terceiro mandato Questionado por que pouca gente acredita que ele não quer o terceiro mandato, Lula disse que "isto é coisa de opositores". Ele lembrou ainda que o segundo mandato foi aprovado pelos tucanos. "Sou favorável a alternância de poder. A Constituição não permite e o povo precisa ter o direito de renovar mandatários."

Tudo o que sabemos sobre:
CPMFLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.