Lula critica antecessores por não combaterem a fome

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, em discurso na abertura do Expo Fome Zero, que os fundamentos econômicos do País dependem de contrapartida social. Pouco antes, o presidente disse acreditar que, baseado no engajamento das empresas e da sociedade brasileira no programa Fome Zero, é possível acabar com a fome. "É uma questão de pouco tempo. Nós vamos fazer." Lula aproveitou para agradecer por diversas vezes a participação dos empresários. ?Eles (empresários) fizeram mais em um ano do que muita gente não fez enquanto foi governo em cinco ou seis anos", afirmou Lula, ao criticar indiretamente seus antecessores. O presidente Lula falou sua proposta de adoção de uma CPMF internacional sobre transações financeiras e de comércio para o combate à fome. Lula chegou a sugerir a adoção de impostos sobre recursos depositados em paraísos fiscais. "Acabar com a fome é algo difícil, porque propõe mexer com entranhas do coração, mas também com a estrutura de distribuição de renda", argumentou. Ele avaliou que o comércio mundial hoje movimenta US$ 8 trilhões e que "uma pequena vírgula disso" seria suficiente para consolidar um fundo mundial de combate à fome". Lula deixou o Expo Center Norte rumo a Brasília. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e a prefeita da capital paulista, Marta Suplicy, não participaram da cerimônia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.