Lula critica acusações falsas e sem provas

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva rejeitou nesta terça-feira o que chamou de acusações sem provas. "O que os governantes devem fazer é o que precisa ser feito. Deixar de divergências, xingatórios, acusações falsas que ninguém prova. O povo quer saber o que as pessoas (autoridades) estão fazendo", afirmou ao discursar no lançamento da pedra fundamental da Universidade Federal de Sergipe, em Itabaiana.O discurso de Lula foi entendido como uma crítica as novas acusações contra o ministro da Fazenda Antonio Palocci. Ele foi desmentido pelo caseiro Francenildo dos Santos Costa sobre suas relações com ex-assessores na prefeitura de Ribeirão Preto.Em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo, Francenildo disse que o ministro esteve várias vezes na mansão alugada pelos integrantes da chamada República de Ribeirão Preto, onde, segundo ele, havia partilha de dinheiro e festas. Lula disse que prefeitos, governadores e o governo federal devem trabalhar para atender o povo, independentemente de partidos: "A máquina pública, seja (administrada) pelo PT, PFL ou PMDB, tem que funcionar para atender ao povo." Embora tenha dado a entender, pela manhã, que poderia dar entrevista, o presidente Lula, até o momento, não conversou com jornalistas que acompanham sua visita a Sergipe. Quando visitava as obras de duplicação da Rodovia BR 101, entre Aracaju e Itabaiana, repórteres lhe perguntaram se daria entrevista, e Lula respondeu: "Temos o dia inteiro para isso".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.