Lula critica a burocracia

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitou o discurso que fez hoje, no encerramento do Seminário Empresarial Brasil-Venezuela, realizado em Manaus e que contou com a presença do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, para criticar a burocracia do Estado e reclamar de pressões de setores da economia sobre o Congresso que, segundo ele, atravancam as votações.Segundo Lula, "precisamos, muitas vezes, relativizar uma pressão de um setor e pensar no conjunto do setor produtivo de cada país?, afirmando que ?muitas vezes a pressão de um setor, por menor que seja, faz com que o nosso Congresso, os nossos governos, demorem meses para tomar uma decisão... que poderia acontecer em uma semana ou em um mês".Ele criticou ainda a burocracia do governo depois de ouvir um apelo do ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan. Lula ponderou que não faria uma crítica à tecnocracia e à burocracia, até porque os burocratas trabalham com base na legislação. "Não podemos exigir, pela nossa pressa, que técnicos burlem a legislação vigente", disse. ?Mas os ministros podem detectar quais são os entraves técnicos, legais e burocráticos em cada acordo para que os dois presidentes possam sentar-se, conversar e enviar mudanças ao Congresso, não só do ponto de vista tecnológico, mas também tecnocrata?, comentou.ReferendoO presidente fez questão de elogiar o sucesso da consolidação democrática na Venezuela a partir do referendo realizado em agosto. Lula disse que ninguém deve colocar em dúvida a lisura do processo ocorrido na Venezuela. "Sua vitória é um marco que não deixa dúvida em nenhum país do mundo de que há democracia na Venezuela", afirmou para Chávez.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.