Lula cria ministério para preservar mandato de Santos

Novo ministro substitui Matilde Ribeiro, que deixou cargo após escândalo dos cartões corporativos

LEONENCIO NOSSA, Agencia Estado

20 de fevereiro de 2008 | 14h50

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou nesta quarta-feira, 20,  medida provisória que transforma em ministério a Secretaria Especial de Políticas e Promoção da Igualdade Racial. O objetivo é permitir que o deputado federal Edson Santos (PT-RJ) possa assumir o cargo deixado por Matilde Ribeiro sem precisar renunciar ao mandato parlamentar. Ao informar aos convidados à cerimônia de posse que tinha transformado a secretaria em ministério, o presidente foi ovacionado.       Veja também:   Entenda a crise dos cartões corporativos   Jucá estuda propor que PSDB presida CPI dos Cartões Oposição protocola CPI exclusiva do Senado nesta terça Lula: 'Não tenho tempo a perder com CPI'Mas depois, em entrevista após a cerimônia, Edson Santos admitiu que a mudança não trará resultados práticos. Isto porque, segundo ele, o novo ministério não terá orçamento e continuará ocupando espaço físico de outras pastas. O novo ministro definiu a pasta como um "meio ministério". Ele disse que o Brasil não é uma democracia racial e defendeu cotas raciais e sociais para que jovens negros tenham acesso às universidades.   O presidente defendeu a ex-ministra da Igualdade Racial Matilde Ribeiro, que deixou o cargo por conta das denúncias de mau uso do cartão corporativo do governo. Ela sai do governo sem ter cometido nenhum crime, não cometeu nenhum delito, teve apenas falhas administrativas", disse Lula. Ele contou que aconselhou a ministra a deixar o cargo, pois estava sendo "massacrada e triturada". A declaração de Lula foi dada durante a cerimônia de posse do novo secretário, Edson Santos.

Tudo o que sabemos sobre:
Cartões corporativos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.