Lula convocação reunião ministerial para discutir eleição

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai reunir seus ministros na próxima semana para falar de eleições. Preocupado com eventuais deslizes da sua equipe, o presidente vai pedir aos ministros que controlem manifestações públicas de apoio quando aparecerem como representantes do governo. A reunião foi marcada para o dia 11 de julho. Será a primeira reunião ministerial completa da atual equipe, alterada em abril quando parte dos ministros saiu do governo para ser candidato. Os ministros da Justiça, Marcio Thomaz Bastos, e das Relações Institucionais, Tarso Genro, devem apresentar aos colegas de governo as limitações da lei eleitoral.A medida poderá evitar cenas como a da última semana, em que numa cerimônia sobre o Bolsa-Família em Contagem (MG) o ministro do Desenvolvimento Social, Patrus Ananias, discursou defendendo mais quatro anos de governo para Lula. No mesmo evento, aliados usaram o cadastro do programa para chamar o público para o evento com o presidente. De acordo com o porta-voz e secretário de imprensa da Presidência, André Singer, já existem três resoluções oficiais do governo para o período eleitoral. Uma delas trata da publicidade oficial nesse período. Outra, do Ministério do Planejamento, é sobre o comportamento de funcionários públicos. A terceira, do Tesouro Nacional, é sobre os gastos federais. "Está sendo feito um levantamento de toda a legislação que existe. Não está descartado um decreto sobre a atuação do presidente", disse o secretário. Na semana em que o PT registra oficialmente a chapa Lula-José Alencar, o presidente já tem uma viagem marcada para hoje à Venezuela e a possibilidade de outra viagem, ainda sem local definido, na sexta-feira. Em Caracas, Lula, que vai participar da oficialização da entrada da Venezuela no Mercosul, iria também fiscalizar as obras de uma linha de metrô financiada pelo BNDES e inauguraria a ponte sobre o rio Orinoco, entre Venezuela e Brasil. Esta parte da viagem foi cancelada por temer problemas com a Justiça Eleitoral, que proíbe a participação em inaugurações. De acordo com André Singer, ainda não há nada previsto como agenda de campanha nesta semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.