Lula contabiliza 1,034 milhão de empregos desde o início do ano

O presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, em seu programa quinzenal de rádio, ?Café com o Presidente?, anunciou hoje que, do dia 1º de janeiro ao dia 1º de julho, o País teve "um saldo positivo de admissões de 1,034 milhão de trabalhadores com carteira profissional assinada". Ele explicou que dentro deste total "só conta aqueles que são contratados pela CLT?, sem levar em consideração o crescimento que está acontecendo na economia informal.Segundo o presidente, isso é importante ?porque junto com o crescimento da oferta de emprego veio o crescimento da renda do trabalhador, e gerando mais empregos e mais renda, o que acontece? Aumenta o consumo. Aumentando o consumo no comércio, vai aumentar a produção na indústria. Aumentou a produção na indústria e aumentou o consumo no comércio, vai gerar mais empregos. E a economia brasileira, então, começa a mostrar de forma muito positiva que nós já conquistamos o crescimento no ano de 2004". O presidente também salientou saber que há muitas pessoas desempregadas. ?Mas também as pessoas compreendem que não é possível arrumar todos os empregos do dia para noite?, explica. Para Lula, este movimento de contratações aconteceu porque houve investimento. ?Com muito dinheiro para agricultura familiar através do Pronaf, ou seja, nós que crescemos 83% na safra 2003-2004, agora colocamos R$ 7 bilhões à disposição dos pequenos agricultores e se precisar de mais, vai ter mais?. Acordo com aposentadosLula, no início do programa de hoje, cumprimentou aposentados e pensionistas e disse que o acordo com eles para reposição das perdas e prejuízos fez ?justiça àquilo que os aposentados brasileiros esperavam do governo?. ?Fizemos um acordo. Lógico que nós não podíamos dar todo o dinheiro de uma vez, porque eram 12 bilhões e 300 milhões de reais. Nós fizemos um acordo para parcelarmos a dívida passada com o compromisso de que vamos pagar no salário mensal daqui pra frente o reajuste de que os trabalhadores tiveram direito", disse Lula.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.