Lula considera sociedade brasileira ainda machista

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva avaliou que a cultura do País é predominantemente machista. Lula acrescentou que é preciso desenvolver o processo de educação para que as mulheres tenham coragem de denunciar seus agressores.As afirmações foram feitas durante a solenidade, no Palácio do Planalto, em que o presidente sancionou a Lei de Enfrentamento da Violência Doméstica, que aumenta de um para três anos a pena máxima de detenção para agressores domésticos.Em discurso de cerca de 15 minutos, Lula afirmou que "o respeito aos direitos, nas relações entre homem e mulher, é tão importante para a vida social quanto o fortalecimento das instituições políticas, da organização popular e dos processos eleitorais".Depois da solenidade, o presidente ainda fez um rápido pronunciamento à imprensa, para dizer que o Brasil entrou, agora, na lista dos países "sérios" no que diz respeito ao tratamento dado à mulher. "Eu acho que a impunidade acabou. Lógico que temos que fazer um processo educacional para que as mulheres se sintam mais à vontade para denunciar", completou.A presidente do STF, ministra Ellen Gracie, também em entrevista, disse que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) deverá recomendar a todos os Judiciários estaduais a criação de juizados especiais que cuidem da violência doméstica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.