Lula confirma que discutirá meio ambiente com Bush

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira que a questão ambiental será um dos temas que ele abordará durante encontro com o presidente norte-americano, George W. Bush, no próximo dia 9 de março, em São Paulo. De acordo com Lula, o assunto também será discutido na próxima reunião do G-8 - grupo formado pelos sete países mais ricos do mundo e a Rússia -, em julho, na Alemanha, para a qual ele foi convidado.Em entrevista ao programa Café com Presidente, da Radiobrás, Lula criticou a conduta dos países ricos em relação ao meio ambiente. "O Brasil tem autoridade moral e política para exigir que os países ricos, em vez de ficarem produzindo protocolos que depois não assinam, cumpram com sua obrigação de despoluir o planeta", disse o presidente. "Nós faremos a nossa parte, agora, é preciso que eles façam a deles."Lula antecipou a posição que pretende defender nos dois encontros agendados. "Os países pobres não podem aceitar a tese dos países ricos de que eles apenas criam um fundo para ajudar os países que não desmatam", disse Lula. "É obrigação nossa fazer uma forte cobrança para que os países ricos diminuam a emissão de gás carbônico."O presidente admitiu, no entanto, que sensibilizar as grandes nações não é simples. "Não é uma coisa fácil, porque isso tem uma ligação direta com a questão econômica de cada país", comentou Lula. "Só para ter uma idéia, a Europa inteira hoje tem apenas 0,3% da mata que ela tinha há oito mil anos atrás. O Brasil tem 69%."Lula voltou a destacar o potencial do País para desenvolver fontes alternativas de energia, ressaltando a tecnologia da produção de álcool, que nenhum outro país detém. "Nós estamos em uma frente de trabalho muito forte do governo e dos empresários, na tentativa de convencer o mundo desenvolvido a colocar álcool na gasolina para diminuir a emissão de gases que tanto poluem o planeta Terra e tanto preocupam os países e os ambientalistas."O presidente mencionou ainda a produção do biodiesel "à base de mamona, à base de pinhão manso, à base de dendê, à base de girassol, à base de caroço de algodão, à base de soja". De acordo com ele, o desenvolvimento sustentável, defendido pela ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, "é possível, necessário e inteligente". Lula citou como exemplo a construção da BR-163, que liga Santarém, no Pará, a Cuiabá, no Mato Grosso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.