Lula conclui tratamento e retoma conversas políticas

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fará exames na próxima sexta-feira (23) para checar se houve remissão completa do câncer na laringe. A expectativa é de que os exames confirmem o desaparecimento do tumor. Hoje (16), Lula recebeu a última dose do tratamento com antibióticos contra uma infecção pulmonar.

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

16 de março de 2012 | 19h59

Embora a previsão de sua assessoria de imprensa seja que ele retome o "ritmo normal" das atividades em 30 dias, nesta manhã Lula encontrou-se com o líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), e na próxima semana receberá o governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, para tratar das eleições municipais.

Mesmo em fase de recuperação do longo período de tratamento quimio e radioterápico e convalescendo da pneumonia, Lula está voltando gradativamente à articulação política. Um dos primeiros de sua conversa "olho no olho" será Eduardo Campos, com quem pretende fechar o apoio do PSB em São Paulo ao candidato do PT à Prefeitura, o ex-ministro da Educação Fernando Haddad. Segundo a assessoria de Campos, o governador aguarda apenas a definição do dia, horário e local do encontro.

Nota de pesar

Lula também divulgou nota nesta tarde lamentando o falecimento do geógrafo da Universidade de São Paulo (USP) Aziz Ab''Saber, morto hoje aos 87 anos vítima de um enfarte. "Aziz Ab''Saber foi, sem dúvida, um dos maiores geógrafos que o Brasil já teve. Seu profundo conhecimento da geografia e seu compromisso inabalável com o povo brasileiro foram fonte de inspiração para todos nós", declarou Lula.

"Convivemos intensamente no Instituto Cidadania, no Governo Paralelo e, sobretudo, nas Caravanas da Cidadania. Juntos, percorremos todos os cantos do Brasil, conhecendo a diversidade do nosso País e do nosso povo. A presença do professor Aziz, com sua inteligência e sabedoria, transformou essa experiência em algo extraordinário", relatou o ex-presidente.

Na nota, assinada em conjunto com a ex-primeira-dama Marisa Letícia, Lula diz que o conhecimento deixado pelo geógrafo continuará "presente em nossas ações". "Sua presença sempre ativa, crítica e opinativa foi fundamental e ajudou a construir muitas das políticas públicas brasileiras. E foi assim que ele se manteve até seus últimos momentos."

Tudo o que sabemos sobre:
Eduardo BragaLulasaúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.