Lula compara momento atual do Brasil com a era JK

Segundo ele, ocorre uma interligação entre a rota de JK e o processo de retomada de desenvolvimento

LU AIKO OTTA E DENISE CHRISPIM MARIN, Agencia Estado

12 de setembro de 2008 | 13h53

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva comparou o momento atual do Brasil com os anos dourados da era JK, durante discurso na abertura da exposição "Um certo navio brasileiro", comemorativo aos 106 anos de nascimento do ex-presidente Juscelino Kubitschek. Segundo Lula, ocorre no momento uma interligação entre a rota traçada por JK e o processo de retomada de desenvolvimento do Brasil. "Trata-se de um Brasil à moda de Juscelino, em que foi retomado o otimismo da juventude", afirmou.Ele lembrou que o plano de metas de JK previa, como 28º item, o estabelecimento de uma indústria naval condizente com a costa brasileira. Segundo ele, nos anos 70, a indústria naval chegou a ter 40 mil empregados, contingente reduzido a apenas 1.600 em 2003, quando assumiu a presidência. "Hoje, graças a Deus, já temos novamente 40 mil trabalhadores na indústria naval brasileira e, com a descoberta do pré-sal, teremos muito mais trabalhadores. A Petrobras deverá encomendar mais de 200 navios, 38 sondas e algumas dezenas de plataformas", afirmou."A descoberta do pré-sal é a nova locomotiva que dá ainda mais força a um comboio em marcha de forma consistente. Erraram de novo os que minimizaram a relevância e o efeito multiplicador da nova fronteira de riqueza soberana presente na reserva do pré-sal", destacou o presidente. O seu discurso, no Memorial JK, foi para uma platéia acanhada. Ele deixou o local sem querer comentar a pesquisa de opinião pública sobre avaliação do seu governo, que bateu recorde histórico de aprovação. Também não quis comentar a crise na Bolívia. "Não posso falar de Bolívia nesse tumulto (do Memorial), porque tem tumulto lá (na Bolívia)", justificou.

Tudo o que sabemos sobre:
LulaJK

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.