Estadão
Estadão

FHC: Acho escandaloso Lula ser ministro num momento em que pode ser réu

Para ex-presidente, 'nomeação aumenta crise moral no País'

Elizabeth Lopes e Aline Bronzati, O Estado de S.Paulo

16 de março de 2016 | 12h57

São Paulo - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) afirmou nesta quarta-feira, 16, que é "escandaloso" Lula ser alçado a ministro-chefe da Casa Civil num momento em que é investigado pela Justiça e pode se tornar réu. "Isso aumenta a crise moral no País", disse o ex-presidente tucano, após proferir palestra em evento da área de seguros na capital.

FHC considerou a nomeação um erro do ponto de vista do funcionamento do governo. “Por aí não vai. Acho difícil. A Casa Civil no Brasil é responsável pelo comando da máquina administrativa não é da política. Precisa de alguém comandar para as coisas acontecerem. Colocar política (na Casa Civil) vai fazer uma confusão no Congresso que vai cobrar vantagens”, avaliou. 

Na avaliação de FHC, a ida de Lula para a Esplanada dos Ministérios vai apenas 'postergar' decisões que precisam ser tomadas. Sem falar diretamente na discussão do impeachment de Dilma Rousseff, FHC destacou que a sociedade e as forças do Congresso é que terão de reagir com força. "Lula é competente no jogo político e vai usar a sua capacidade para postergar decisões."

Segundo FHC, como o ex-presidente petista não tem convicções firmes em área nenhuma "e muito menos na econômica", se continuar nessa fase de baixar juros e aumentar crédito, o País irá retroceder. "É um mau momento para isso", emendou. E continuou: "Se o poder político dele for nessa direção, vai atrasar ainda mais (a recuperação do País), porque pode causar euforia momentânea em alguns setores, mas vai agravar ainda mais a situação lá pra frente." E ironizou: "Lula é maleável, se a sociedade gritar ele vai retroceder na economia."

Analfabeto. Ainda sobre Lula, sem citar especificamente o agora ministro-chefe da Casa Civil, Fernando Henrique disse que não se pode dirigir este País sendo analfabeto. "Assim não dá", frisou. O ex-presidente tucano estava neste momento falando que o País precisa investir em Educação e que seus dirigentes devem ter conhecimento. Após o evento, FHC deixou o local sem falar com a imprensa.

O ministro da Casa Civil, segundo FHC, é a pessoa que tem de “dizer não”. Com Lula no cargo, de acordo com ele, a administração do País vai sofrer. “Do ponto de vista de como funciona o governo, é um erro. E é qualquer um. Não é o Lula. Pode ser eu. Ele vai fazer política. Não vamos sair desse círculo”, avaliou o ex-presidente.

Tudo o que sabemos sobre:
FHCLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.