Lula comete gafe ao cobrar qualidade dos vinhos brasileiros

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva causou um certo mal-estar ontem, na serra gaúcha, ao comparar os vinhos brasileiros com os franceses - com os brasileiros na pior posição. "Vocês sabem que, no Palácio da Alvorada, todas as recepções que nós damos são com vinho brasileiro. E, obviamente, que, de vez em quando, você vê gente de outro país botar na boca e não sentir o mesmo gosto que ele sente se ele antes passou na França para tomar um vinho francês de qualidade", disse o presidente, em um almoço cheio de produtores de vinho extremamente orgulhosos dos seus produtos.Lula usou a comparação para cobrar avanços na qualidade dos vinhos brasileiros. "E nós poderemos chegar, senão igual ou melhor, poderemos chegar muito próximo. Só depende de nós", completou. A citação dos franceses, no entanto, é um problema em uma região que vive do vinho e vê o mercado brasileiro constantemente inundado por importados.Mais tarde, na abertura da 76ª Festa da Uva, em Caxias do Sul, Lula tentou consertar. "Quem sabe daqui a pouco a gente vai estar pelo mundo e vai estar encontrando os vinhos do Rio Grande do Sul oferecidos entre os maiores vinhos do mundo, disse. "Como eu sou jovem, só tenho 60 anos de idade, eu espero viver o suficiente para chegar em Paris e pedir um vinho brasileiro. Aí, quem sabe, vai ser o top dos vinhos produzidos aqui nesse País". O presidente não chegou a experimentar os vinhos gaúchos nessa viagem. Fiel à dieta que mantém há mais de 40 dias, só tomou água durante o almoço. Mas, no final, experimentou o espumante gaúcho - hoje já classificado entre os melhores do mundo. Lula participou de uma cerimônia chamada Sabragem, em que abriu o espumante com um sabre. Depois, brindou com os produtores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.