Lula comemora feriado sem vaias; Renan falta a desfile

Desfile de comemoração de 7 de setembro contou com presença de presidente da Câmara e ministro da Defesa

NATUZA NERY, REUTERS

07 de setembro de 2007 | 17h46

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva iniciou o evento em comemoração ao feriado de Independência do Brasil protegido de vaias e fazendo o sinal da cruz. Já o presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL), a poucos dias de ter seu futuro político decidido pelo Senado, preferiu não comparecer.   Veja Também:   Após desfile, Lula recebe 'Magos da Motocicleta' em Brasília       Rodeado por palanques de convidados, o presidente não viu manifestações nem reações negativas a ele. Apenas um protesto solitário foi registrado nos arredores, não contra Lula, mas contra Renan. O comerciante Edson Matos, de 37 anos, vestia uma camisa chamando o peemedebista de "ladrão, safado, enrolão e pilantra" e atraiu a atenção da imprensa. Ao lado do presidente da República, a primeira-dama, Marisa Letícia, usava um conjunto verde-amarelo de saia e blusa e segurava uma pequena bolsa estampada com a bandeira do Brasil. Além do vice-presidente José Alencar e do ministro da Defesa, Nelson Jobim, outros 15 ministros estiveram presentes à cerimônia. O desfile de 7 de setembro custou aos cofres públicos 2,5 milhões de reais, quase um milhão de reais acima do valor gasto no ano passado. Segundo a Polícia Militar, aproximadamente 30 mil pessoas compareceram à Esplanada.   Julgamento Esperado para a cerimônia, Renan Calheiros deixou sua cadeira vazia. Às vésperas da votação do processo por quebra de decoro, o peemedebista preferiu ficar com a família a participar do evento.O ministro da Justiça, Tarso Genro, não deu falta do aliado."Por que sentir falta? Ele não veio porque não quis", afirmou.Tarso negou que o governo esteja pressionando integrantes de sua base de apoio a votarem a favor de Renan. Na próxima quarta-feira, o plenário da Casa votará o pedido de cassação do senador.   Institucional   O ministro Tarso Genro esparava seu carro oficial quando foi abordado pela imprensa. A jornalistas, disse que o país poderia comemorar a estabilidade econômica, o crescimento do país... e tranquilidade institucional", apesar das contendas entre o ministro da Defesa, Nelson Jobim, e o Alto Comando do Exército sobre um livro, lançado no Palácio do Planalto, que remonta o período do regime militar.Sabendo que o Exército emitira uma nota em defesa da instituição, Jobim fez chegar à hierarquia militar o recado de que demitiria qualquer um que contestasse sua autoridade à frente do cargo. A pressão deu certo e a crise acabou sendo controlada.Durante o desfile, Jobim fez questão de ser fotografado ao lado do generalato para mostrar que o episódio faz parte do passado. Lula Motoqueiro  Após a cerimônia na Esplanada, já no Palácio da Alvorada, Lula e a primeira-dama posaram para fotos ao lado da moto construída nos Estados Unidos pelos integrantes do programa de TV "American Chopper".Animado, Lula montou na motocicleta e sorriu para as câmeras. O veículo, inspirado em Brasília, homenageou os 100 anos do arquiteto Oscar Niemeyer.A equipe de TV doou um capacete e uma jaqueta ao programa Fome Zero.

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICADESFILEATUALIZA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.