Lula cobra empenho do governo e da sociedade

Em meio às críticas de paralisia no governo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva cobrou hoje empenho de setores da administração pública e da sociedade para a retomada do desenvolvimento e do crescimento econômico do País. Ao inaugurar uma unidade de processamento de gás natural da Petrobras, na região de Urucu, a 650 quilometros de Manaus (AM), Lula disse que se houver disposição, mesmo sem dinheiro é possível realizar projetos. "Se você ficar sempre dizendo tem ou não tem dinheiro, você nunca vai conseguir fazer. De vez em quanto tem de botar a cara para apanhar e dizer: eu vou fazer, independentemente de qualquer coisa", disse. Lula elogiou os empreendimentos da Petrobras, os funcionários da empresa e disse que quando se analisa o salário de um técnico da Petrobras, que é alto, não se avalia o trabalho que é executado. Dirigindo-se a cerca de 500 trabalhadores da empresa Lula disse que eles são um "alento a qualquer governante deste País e mostram que é possível fazer as coisas". Ao se referir ao povo da Amazônia, o presidente disse que o País tem de aprender que ?não dá para a ficar apenas dizendo que a Amazônia é um santuário da humanidade e não lembrar que moram na região mais de 20 milhões de brasileiros que têm o direito de viver dignamente como qualquer outro ser humano do planeta". Lula chegou uma hora atrasado no complexo da Petrobras. A terceira unidade de Processamento de Gás Natural inaugurada em Urucu custou cerca de US$ 55 milhões e aumentará a produção de 3 milhões para 6 milhões de metros cúbicos de gás natural e de mil para 1.500 toneladas a produção de GLP, conhecido como gás de cozinha. O complexo de Urucu emprega 1.800 trabalhadores. Destes apenas 10% são dos quadros da Petrobras e 90% são terceirizados. CearáSegundo nota divulgada pela estatal, com a entrada em operação da UPGN-3, a bacia petrolífera do Solimões passará a abastecer também o Estado do Ceará, gerando na região amazônica 650 empregos diretos e 2.500 indiretos. Outro benefício é a redução da necessidade de importação de gás de outros países, auxiliando assim a balança comercial brasileira. A previsão estimada é de que a UPGN 3 irá proporcionar uma economia ao Brasil de R$ 175 milhões por ano na balança comercial. O Amazonas e os municípios vizinhos à província também serão diretamente beneficiados, já que o incremento da produção aumenta os royalties e os demais impostos que são repassados ao Estado e a alguns municípios. Um exemplo é o aumento de aproximadamente R$ 9 milhões de ICMS para o Amazonas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.