Lula cobra diálogo entre ministros e quer integração política

Na 1ª reunião ministerial, presidente deu uma 'bronca' nos ministros e exigiu melhor relação com Congresso

REUTERS

23 Janeiro 2008 | 12h56

Ao propor que a reunião ministerial desta quarta-feira, 23,  tivesse um caráter de discussão mais política do que administrativa, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva cobrou dos ministros mais diálogo para melhorar a atuação do governo nos três anos que ainda restam de seu mandato.   Depois de um intervalo de 40 minutos para o lanche, foi retomada a reunião ministerial com o presidente. Neste momento, o presidente faz uma exposição, mas o tema não foi divulgado. Lula disse que ele e a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, conversam com todos os ministros em audiências, mas que fora das reuniões ministeriais falta diálogo direto entre os titulares de cada pasta. "Penso que entre vocês existe pouca conversa política. Eu diria que há meses e meses que vocês não conversam entre si, que não trocam idéias", afirmou Lula na abertura do encontro, em discurso divulgado pelo Palácio do Planalto. "Certamente as pessoas conhecem menos do que deveriam conhecer das coisas que o governo faz porque o sistema de informação e comunicação entre nós talvez não seja o mais perfeito ainda", acrescentou Lula, destacando que "a política é o centro da atividade de um governo". Lula descartou a apresentação do balanço do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) na reunião e pediu ao presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, uma exposição sobre a crise norte-americana. Em seguida, o ministro das Relações Institucionais, José Múcio falaria sobre o que deve mudar na relação política do Executivo com o Legislativo. "Depois eu vou falar um pouco, menos do que habitualmente falo, para que a gente possa então fazer um debate político", propôs Lula, dizendo que queria ouvir o que cada um tinha a dizer. "Afinal de contas, aqui tem representantes de vários partidos políticos, estamos no governo e precisamos saber combinar essa nossa atuação na relação com todos os outros ministros porque nós temos três anos de governo pela frente", disse Lula.

Mais conteúdo sobre:
POLITICALULAMINISTROS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.