Reprodução/TV Globo
Reprodução/TV Globo

Lula chega a SP com jatinho de Huck fretado de empresa de aviação executiva

Companhia do apresentador é proprietária da aeronave, cujo fretamento é de responsabilidade da Icon Taxi Aéreo, de Michel Klein

Adriana Ferraz, O Estado de S.Paulo

09 de novembro de 2019 | 13h32
Atualizado 09 de novembro de 2019 | 20h32

O jatinho utilizado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para viajar de Curitiba a São Paulo neste sábado, 9, é do apresentador Luciano Huck. A aeronave alugada pelo PT é de propriedade da empresa Icon Taxi Aéreo, responsável pelo fretamento, e da Brisair Serviços Técnicos Aeronáuticos Ltda., cujos donos são o apresentador Luciano Huck e sua mulher Angélica. 

A Icon Taxi Aéreo é uma das principais do setor. No primeiro semestre do ano passado, transportou 2,6 mil pessoas. Neste ano, foram 1,9 mil.

O apresentador de TV afirmou que a aeronave faz parte da frota do Icon Taxi Aéreo e que "não tem qualquer influência para quem ela é fretada". Huck disse ainda que a aeronave foi contratada porque estava disponível na data selecionada.

De acordo com a assessoria de imprensa do apresentador, a agenda de locação das aeronaves é de responsabilidade da empresa de fretamento, de propriedade de Michael Klein. O jatinho do apresentador foi alugado pois estava à disposição, ainda segundo a assessoria. 

Segundo fontes do PT, foi o próprio partido quem pagou pelo aluguel. A aeronave foi adquirida em 2013 pela empresa Brisair Serviços Técnicos Aeronáuticos por meio de empréstimo no valor de R$ 17.712.346,00. O dinheiro veio do programa BNDES Finame e seguiu as condições do Programa de Sustentação do Investimento (PSI) a partir de definições do Conselho Monetário Nacional.

Após repercussão, Huck usa Instagram para explicar

Após a repercussão, Huck usou sua conta no Instagram para afirmar que não deu carona nem emprestou o avião para Lula. Segundo o apresentador, a aeronave, que ele usa para viajar "dois, três Estados toda semana, para rodar o Brasil inteiro" em suas atividades profissionais, é deixada à disposição da empresa Icon Táxi Aéreo quando não está sendo usado. A empresa, por sua vez, aluga o jatinho. "Aviação é muito caro. Para tornar a operação mais eficiente, o avião fica à disposição deles para fretamento. Em bom português, é para alugar o avião para ajudar a pagar as contas todas. E o voo de hoje foi um voo fretado como qualquer outro", explicou.

Segundo Huck, é a Icon quem a responsável pela agenda de voos, o que tornaria "qualquer especulação política em cima disso maluquice desse momento polarizado que a gente vive no País". O apresentador definiu o fato como "uma simples questão comercial".

ROBERTO FREIRE SAI EM DEFESA DE HUCK

Presidente do Cidadania, o ex-deputado federal Roberto Freire saiu em defesa do apresentador e empresário Luciano Huck, que está sendo criticado hoje nas redes sociais por bolsonaristas. Huck é dono da empresa de serviços aeronáuticos, que é proprietária do jato que foi alugado pelo PT para levar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de Curitiba para São Paulo neste sábado.

"Penso que cada dia que passa nesse nosso Brasil do 'nós x eles', o Luciano Huck cresce como alternativa democrática. Os bolsonaristas e os lulopestistas, eufóricos com Lula solto, não o esquecem", escreveu Freire em sua conta no Twitter.

A postagem do presidente do Cidadania também tem uma imagem com um tuíte de Huck se pronunciando sobre o caso. "A aeronave faz parte da frota da Icon Taxi Aéreo e por meio da empresa [de fretamentos] foi contratada para o voo", escreveu o apresentador.

O Cidadania mantém interlocução com Huck e com os movimentos Agora e Renova BR, apoiados pelo apresentador. Huck é apontado como possível candidato à Presidência da República em 2022. /COLABORARAM GREGORY PRUDENCIANO, RICARDO GALHARDO E PAULO ROBERTO NETTO.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.