Lula busca espaço para candidatos derrotados do PT

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, articulador das campanhas petistas nas últimas eleições, está em busca de espaço para os candidatos que, mesmo derrotados, tiveram um bom desempenho na disputa. O primeiro convocado, o candidato petista em Campinas, Márcio Pochmann, reuniu-se com o ex-presidente no início da tarde desta quinta-feira no Instituto Lula, na capital paulista. Pochmann, que perdeu a disputa com Jonas Donizete (PSB), eleito com 57,69% dos votos contra 42,31% do petista, foi considerado "vitorioso" por ter levado a disputa para o segundo turno.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

01 de novembro de 2012 | 17h26

Cotado para compor o secretariado de Haddad, ele confirmou que seu futuro político foi o item principal da agenda com Lula, mas negou-se a dar detalhes. "Ainda não tem nada definido", desconversou. Pochmann foi secretário municipal em São Paulo no governo petista de Marta Suplicy, e depois assumiu a presidência do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), mas nunca havia disputado uma eleição.

Outro que está nos planos de Lula é o candidato derrotado em Taubaté, Isaac do Carmo. O ex-presidente elogiou o desempenho do petista que começou a disputa com 2% dos votos e levou as eleições para o segundo turno num tradicional reduto tucano. Carmo perdeu para Ortiz Júnior, do PSDB, por 62,96% a 37,08%, mas ainda aguarda decisão da Justiça, já que o Ministério Público Estadual pediu a anulação dos votos dados ao tucano.

Pós-graduado em Direito do Trabalho, o petista atua no movimento sindical há 16 anos e, como Lula, foi presidente do Sindicato dos Metalúrgicos. O ex-presidente quer dar projeção ao petista para que ele possa disputar a próxima eleição em condições de ganhar. Carmo, que ainda será recebido por Lula, já adiantou que pretende continuar na política. "Quase 60 mil votos são a base para que a gente continue trabalhando", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012PTLulacandidatos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.