Lula assume o comando da negociação com o PMDB

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai assumir o comando das negociações com o PMDB para satisfazer os pedidos de cargos e maior participação nas decisões. Nesta quinta-feira, ele janta com a cúpula do partido para discutir a relação. Hoje, sem o apoio do PMDB, o governo adiou, mais uma vez, a votação da medida provisória que cria mais de 2.800 cargos de confiança no governo, em tramitação no Senado. Segundo o líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros, as dificuldades políticas persistem e refletem o modelo inadequado de coordenação montado pelo governo. Ele lembra que vários acordos feitos com o governo no Senado são alterados na Câmara. "Os acordos não funcionam nas duas Casas", disse. O líder do governo na Casa, Aloizio Mercadante (PT-SP), que informou hoje ao presidente das dificuldades, disse que Lula vai convidar também os outros partidos aliados para conversas até a semana que vem, como o PL, que, na terça-feira, deixou o bloco de apoio ao governo."Há questões de mérito a serem solucionadas, mas há uma questão política de fundo. O governo tem que olhar com mais atenção a sua base e dar aos partidos condição de participar da formulação do projeto do governo", disse Mercadante. De acordo com ele, a idéia do governo é abrir esse caminho para os partidos. Mercadante reconhece que faltou atenção política do governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.