Lula assina PAC para obras em favelas do Rio

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou hoje da assinatura de convênios do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para obras nas comunidades do Cantagalo e Pavão-Pavãozinho, na zona Sul do Rio, no valor de R$ 35,2 milhões. Ao todo, o PAC prevê liberar R$ 2,092 bilhões para as comunidades carentes do Rio para a urbanização de favelas, conforme declarações do presidente no evento.Entre as obras no Pavão-Pavãozinho, está prevista a construção de um grande elevador panorâmico, como o elevador Lacerda, em Salvador, porém, em estilo mais moderno, que terá uma saída na rua Teixeira de Melo, em Ipanema, junto a uma estação do metrô.Também está prevista a regularização fundiária de residências nos dois morros. O clima da assinatura foi de festa popular, com muitos aplausos, gritos e a bateria da Escola de Samba Alegria da Zona Sul. As obras terão a participação também do governo do Estado do Rio e, assim como Lula, o governador Sérgio Cabral foi muito aplaudido.O presente Lula ligou sutilmente as obras de urbanização das comunidades carentes à questão da violência no Rio, afirmando que as obras serão feitas "para as pessoas sentirem que o Estado está participando". Lula criticou a imprensa afirmando achar que "não é justo o Rio de Janeiro aparecer nos jornais apenas nas páginas policiais. Do jeito que aparece, aqui está uma desgraceira só, quando não está", afirmou. De acordo com Lula, "bandido tem em todos os lugares" e 99% das pessoas são trabalhadoras.O presidente Lula tem extensa agenda no Rio, que inclui à tarde, a cerimônia de assinatura do contrato da Transpetro com o estaleiro Mauá para a construção de quatro navios no valor de US$ 277 milhões. O presidente participa também da inauguração da central de operações do Programa de Rastreamento de Embarcações Pesqueiras por Satélites, em navio ancorado próximo à Praça Mauá, no centro do Rio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.