Lula assina hoje projeto de lei de acesso a dados

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai assinar hoje, em cerimônia no Centro Cultural Banco do Brasil, o projeto de lei de acesso às informações públicas, que será encaminhado ao Congresso. A proposta prevê que qualquer pessoa poderá pedir a órgão público documentos como dados sobre programas sociais, auditorias, licitações, projetos em andamento e fichas em departamentos policiais. A administração pública terá 20 dias úteis para entregar o material. O projeto também reduz o prazo de sigilo de documentos considerados sensíveis.Com a lei, será criado o portal Arquivos: Memórias Reveladas, no qual serão colocados os documentos referentes à perseguição política durante o regime militar (1964-1985). Entre as instituições cujas informações serão colocadas no portal estão os extintos Serviço Nacional de Informações (SNI) e o Conselho de Segurança Nacional (CSN). O governo, que fará uma campanha na TV para incentivar a entrega de documentos, espera que pessoas comuns e funcionários públicos entreguem material que esteja sob sua guarda. Servidores poderão ser punidos se não o fizerem e cidadãos comuns terão a garantia do sigilo.O presidente do Clube Militar, general Gilberto Figueiredo, se disse favorável à abertura dos arquivos da ditadura. "As pessoas que estão no governo hoje, parte dos quais participou de atos terroristas durante o regime militar, não têm interesse na abertura porque aparecerão, também, seus crimes", disse. Na opinião do militar, se o portal quisesse ser justo deveria ter a história também dos militares mortos por combatentes da esquerda no período. O governo não se pronunciou sobre o assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.