Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Lula apresenta nesta quarta-feira três propostas ao MST

O ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Luiz Dulci, disse que no encontro que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva terá nesta quarta-feira, no Palácio do Planalto, com líderes do Movimento dos Sem-Terra (MST), o governo vai apresentar a eles propostas de assistência técnica, reestruturação do Incra e de melhorias nos assentamentos. Em entrevista na Câmara dos Deputados, Dulci afirmou que o objetivo da reunião não é pedir trégua ao movimento, mas sim avançar no processo "pacífico" de reforma agrária. "Qualquer crise, seja na área empresarial ou popular, é ruim para o País", disse. "Mas o governo não teme nada. É pelo positivo". Dulci ressaltou que o governo pretende negociar com lideranças rurais, independentemente de ocupações no campo. Segundo ele, a antecipação do encontro, que a princípio estava marcado para o dia 7, foi pedido pelo próprio MST. "O presidente já se encontrou com a Contag (Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura) e vai se encontrar com o MST para buscar o maior consenso possível", afirmou. Ele salientou que o governo "não se descuidou" da questão para priorizar as reformas tributária e previdenciária. "O governo lançou o maior plano da história de agricultura familiar, com a liberação de R$ 5,4 bilhões, um projeto que incluirá também as famílias de assentados pela reforma agrária", afirmou. O ministro adiantou que, na reunião de amanhã no Planalto, o ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, fará um diagnóstico da situação do campo e que ele (Dulci) e o ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, vão apenas "colaborar" como interlocutores. Segundo Dulci, para o encontro está convidada toda a direção nacional do MST, incluindo o líder João Pedro Stedile.

Agencia Estado,

01 de julho de 2003 | 20h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.