Lula apóia BC e diz que não permitirá a volta da inflação

Presidente diz para quem estiver apostando na volta da inflação para ganhar dinheiro, tirar 'o cavalo da chuva'

Estadao.com.br

06 de setembro de 2007 | 09h39

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse há pouco que o governo não vai permitir a volta da inflação. Foi o próprio presidente quem tomou a iniciativa de abordar o tema, no encerramento da entrevista que concedeu a emissoras de rádio, na manhã desta quinta-feira, 6, em Brasília.  Veja também: Lula diz que País não pode perder R$ 40 bilhões da CPMF Lula defende voto aberto no processo de cassação de Renan Governo não discute reestatização da Vale do Rio Doce, diz Lula Após referir-se à redução de 0,25 ponto porcentual na taxa Selic, decidida na quarta-feira, 5, pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, Lula justificou a redução no ritmo de corte da taxa básica de juros. "Não arredaremos o pé da nossa responsabilidade". O Copom decidiu, por unanimidade, reduzir o ritmo de queda da taxa básica de juros (Selic) e fixou o juros em 11,25%.  Lula lembrou que setores de alimentos têm dado sinais de aumento de preços nas últimas semanas. "Não iremos permitir que a inflação volte. A hora que a inflação voltar, o prejuízo é direto no bolso das pessoas que vivem de salário", disse. "Quem estiver apostando na volta da inflação para ganhar dinheiro, tirem o cavalo da chuva porque a inflação não vai voltar". O presidente justificou a política de redução da taxa de juros do Banco Central. "O BC vai continuar acompanhando o cumprimento da meta", afirmou.  (Com Amanda Valeri, da Agência Estado) 

Mais conteúdo sobre:
POLITICALULAJURO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.