Lula aplaude e critica FHC no lançamento de plano contra o trabalho escravo

Ao lançar o Plano Nacional de Erradicação do Trabalho Escravo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva bateu palmas nesta terça-feira para as ações do governo Fernando Henrique Cardoso de resgate de trabalhadores em condições desumanas em fazendas no Sul do Pará, exibidas num telão. Foi uma contradição. Pouco antes, o Palácio do Planalto divulgou nota afirmando que o ?governo anterior? não resgatou ?um único trabalhador nos meses de janeiro do período 1996 a 2002?.Na solenidade, num dos salões do Planalto, foi apresentada num telão reportagem feita pela Rede Globo sobre o trabalho escravo e as ações de êxito da Polícia Federal e do Ministério Público na área. Detalhe, a matéria jornalística foi produzida em 2001 e divulgada em outubro daquele ano. À época, os agentes federais eram comandados pelo governotucano.Na nota, a Presidência da República informou que desde janeiro, o novo governo libertou 841 trabalhadores escravos e teriam sido pagos R$ 1.192.529,00 em indenizações. ?Nos anos de 1996, 1997, 1998, 1999, 2000 2002, o governo anterior não resgatou um único trabalhador nos meses dejaneiro, em função das chuvas que dificultam o acesso às fazendas clandestinas?, afirma o texto. Logo depois da solenidade, o ministro do Trabalho, Jaques Wagner, ressaltou que, ?realmente?, as ações dos fiscais do trabalho são mais difíceis nos meses de janeiro devido às chuvas nos estados onde a situação é mais crítica, como Pará e Maranhão. Wagner não informou qual a totalidade de escravos libertos em todo o governo tucano. Mas garantiu que nos meses de janeiro e fevereiro deste ano o número de libertos foi três vezes maior que no mesmo período dos anos anteriores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.