Lula apenas sorri quando o assunto é reforma ministerial

Só sorrisos e nenhuma palavra. Foi assim que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva reagiu hoje, nas duas vezes em que lhe foram feitas perguntas sobre a reforma ministerial. Quando deixava o saguão do Palácio do Planalto em companhia do presidente do Paquistão, Pervez Musharraf, Lula foi questionado se colocaria o atual ministro da Previdência, Ricardo Berzoini, na pasta do Planejamento. O presidente, que tem mantido suas escolhas em segredo até de assessores mais próximos, riu. Minutos depois, quando entrava no Palácio do Itamaraty, lhe perguntaram se anunciaria nomes essa semana. A resposta foi outro sorriso.O ministro das Comunicações, Eunício Oliveira, do PMDB, que participou do almoço de Lula com Pervez Musharraf, disse que não tem falado com Lula a respeito de espaços para o PMDB no governo. "Falamos sobre política", disse. Segundo o ministro, eles trocaram idéias quanto à possibilidade de os dois partidos se apoiarem mutuamente nas próximas disputas eleitorais. "Ele está interessado em juntar forças com o PMDB", disse.Ele disse, ainda, que a ruptura do PMDB catarinense com o governo "é um episódio que não está acabado." Segundo o ministro, o governador de Santa Catarina, Luiz Henrique, teria declarado hoje que, a despeito do posicionamento do PT local, continuaria apoiando o governo Lula.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.