Lula anuncia contribuição a Botsuana no combate à aids

O Brasil deverá contribuir, com sua experiência, no combate à aids em Botsuana. Os dois países assinaram hoje, em Gaborone - terceiro país visitado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em sua Quinta viagem à África -, um acordo de cooperação mútua na área de prevenção e combate à doença, que atinge um de cada quatro habitantes do país africano. O ministro da Saúde, Saraiva Felipe, explicou que o governo de Botsuana tem interesse em conhecer as ações de prevenção brasileiras, de treinar seus profissionais de saúde no Brasil e de receber medicamentos anti-aids da empresa Farmanguinhos.As experiências não serão passadas apenas do Brasil para Botsuana. O caminho inverso também irá ocorrer, segundo Saraiva Felipe. "De alguma forma, também temos a aprender, até verificando o que deixou de ser feito para que a doença tivesse a expansão que teve aqui em Botsuana, um país de 1,7 milhões de habitantes com algo em torno de 30% da população infectada e em torno de 60 mil pessoas já com a doença".Uma comitiva de Botsuana deve visitar o Brasil em breve para discutir os pontos de interesse do país africano. Além do acordo relacionado à aids, os dois governos também assinaram um convênio de cooperação no esporte.Interesse dos empresáriosEm sua visita, Lula destacou ainda que os empresários brasileiros vêem oportunidades de investir no mercado do país. "Temos o desafio de elevar o nível ainda muito modesto de nossas trocas comerciais. A tecnologia e os produtos brasileiros, por serem mais adaptados às condições do mercado africano, podem ajudar Botsuana a diversificar seu parque industrial, sobretudo no campo de couros, calçados e processamento de carne", disse Lula.De acordo com o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, há interesses de empresários brasileiros também nas áreas de mineração e transportes. A Companhia Vale do Rio Doce, do setor de mineração, teria se interessado pelas jazidas de cobre, níquel e carvão de Botsuana. Já a empreiteira Andrade Gutierrez teria avaliado a possibilidade de investir na construção de estradas.O presidente destacou que o Brasil "nunca mais olhará o mundo sem enxergar o continente africano". De acordo com Lula, por muitos anos, o Brasil ignorou a África, assim como a América Latina. O presidente lembrou, mais uma vez, a dívida dos brasileiros com os africanos e destacou os laços que unem os dois povos. "Cada vez que eu faço uma viagem para a África é como se estivesse voltando para minha própria casa. Estamos trabalhando para construir uma consciência de que somos devedores do povo africano. Não devedores de dinheiro, mas de sua riqueza cultural. Somos devedores da alegria do nosso povo, da nossa ginga, da nossa dança e da beleza do nosso povo". Lula também agradeceu o apoio de Botsuana à candidatura do Brasil como membro permanente do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). Atualmente, apenas cinco países têm vaga na entidade, mas o governo brasileiro defende o aumento do número de integrantes do conselho.A comitiva brasileira parte ainda hoje para a África do Sul. Nesse último destino da viagem à África, Lula participará da Cúpula da Governança Progressista, um encontro com chefes de Estado, como o primeiro-ministro britânico Tony Blair. As informações são da Agência Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.