Lula anuncia acordo sobre condições de trabalho na cana

Objetivo do pacto, firmado entre empresários, governo e trabalhadores, é lutar contra o escravismo

Jamil Chade, de O Estado de S. Paulo ,

15 de junho de 2009 | 10h47

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou nesta segunda-feira, 15, que governo, empresários e trabalhadores brasileiros assinarão um acordo para garantir condições mínimas de trabalho no setor de cana-de-açúcar. Lula participa da Conferência Internacional do Trabalho, em Genebra, Suíça.

 

Cerca de 600 empresas já aderiram aos princípios propostos no acordo, que inclui nível de renda, proteção aos trabalhadores e benefícios. O objetivo é lidar com os casos de trabalho escravo no setor da cana-de-açúcar.

 

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, estimou que as empresas que assinarão o acordo representam pouco mais de 70% da produção de cana no Brasil. As empresas que aderirem ao processo serão certificadas. A maioria das empresas está no estado de São Paulo.

 

Xenofobia

 

Lula também alertou para o "crescimento da xenofobia" diante da crise econômica mundial. Em discurso na Organização Internacional do Trabalho (OIT), Lula estimou que, só em 2009, "50 milhões de trabalhadores poderão perder seus empregos".

 

"Alguns tentam transferir o ônus da crise para os mais fracos e é aí que aparece a face oculta e cruel da globalização. Os trabalhadores imigrantes se tornam os bodes expiatórios e a comunidade internacional não pode permitir que isso ocorra", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.