Lula amplia vantagem sobre concorrentes

O presidente Lula da Silva ampliou, em março, sua vantagem em relação a seus possíveis concorrentes na eleição presidencial deste ano, nas simulações para o segundo turno, segundo dados da pesquisa CNI/Ibope divulgados pela Confederação Nacional da Indústria. Na simulação feita antes da definição do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, como candidato à Presidência da República pelo PSDB, Lula aparece no primeiro turno com 43% das intenções de voto e o tucano com 19. Na última pesquisa, realizada em dezembro, os porcentuais eram, respectivamente 32% e 20%. O ex-governador do Rio, Anthony Garotinho (PMDB) caiu de 20% para 14%.No segundo turno, Lula tem 49% das intenções de votos ante 31% de Alckmin. Brancos e nulos somam 13% (17% na pesquisa anterior), enquanto 7% (5% na pesquisa anterior) não souberam responder ou não opinaram. Em dezembro, Lula tinha 41% contra 37% de Alckmin.No cenário onde aparece o nome do prefeito de São Paulo, José Serra (PSDB), que desistiu de disputar a Presidência, no primeiro turno Lula sobe 9 pontos em relação à pesquisa anterior e tem agora 40%. Serra que tinha 37% das intenções de voto caiu para 31%. Garotinho cai de 11% para 8%. Se o segundo turno fosse hoje, Lula venceria com 44% das intenções de votos ante 40% de Serra. Nesta simulação, brancos e nulos somam 10% (12% na pesquisa anterior), enquanto 5% disseram não saber responder ou não opinaram. Na pesquisa anterior, realizada em dezembro, Lula aparecia com 35% e Serra com 48%.Confiança em Lula e no governoO presidente Lula também conseguiu recuperar seu índice de confiança e a avaliação do seu governo. O porcentual dos que confiam em Lula subiu 10 pontos e agora é de 53%, enquanto os que afirmaram que não confiam caiu 10 pontos e está em 43%.Em relação ao governo, os entrevistados que afirmaram que está melhor do que esperava é de 31, enquanto na pesquisa anterior era de 20%. Os que consideram igual oscilou de 32% para 31% e os que acham que está pior do que esperava caiu 10 pontos e está em 36%. A pesquisa foi realizada entre os dias 8 e 11 de março, quando foram entrevistas 2002 pessoas. A margem de erro é de 2,2 pontos porcentuais para mais ou para menos.Sudeste X NordesteO diretor de Operações da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Marco Antônio Guarita, informou à Agência Estado que, em simulações de um eventual segundo turno entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, os dois ficam tecnicamente empatados na Região Sudeste, em que Alckmin aparece com 38% das invenções de votos e Lula com 42% de Lula.Também há empate técnico, em todo o País, no grupo que recebe entre 5 e 10 salários mínimos, no qual o tucano aparece com 43% das intenções de votos ante 41% de Lula. O tucano venceria num eventual segundo turno entre a população de nível educacional superior, de acordo com os dados, que foram levantados antes da decisão do PSDB de escolher Alckmin seu candidato à presidência da República. Nesse grupo - nível superior -, o tucano teria 42% das intenções de voto contra 37% de Lula.Mas o presidente ganha, disparado, na Região Nordeste, em que aparece com 65% das intenções de voto ante 20% de Alckmin. A distância é grande, também, na faixa da população que ganha até um salário mínimo em todo o País, na qual Lula tem 57% das intenções ante 27% do tucano. Os dados foram levantados na pesquisa CNI/Ibope, divulgada hoje, mas não incluídos nos dados divulgados pela Confederação.

Agencia Estado,

15 de março de 2006 | 17h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.