Lula: aliança em 2008 pensando em 2010 é 'insanidade'

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chamou de "insanidade" o fato de alguns pré-candidatos fazerem alianças políticas em 2008 pensando em 2010. Lula fez a afirmação ao abrir hoje a Campanha Nacional de Vacinação de Idosos Contra a Gripe, em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. "Não tem lógica. A lógica é da especulação. Como isso não está na Bolsa (de valores), não é necessário especular", disse Lula em conversa com jornalistas, da qual participou também o governador de São Paulo, José Serra (PSDB).A afirmação foi feita em resposta a uma questão sobre o apoio que o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), eventualmente daria ao governador José Serra em 2010 e também ao fato de o PMDB, partido da base aliada de Lula, ter fechado acordo de apoio a Kassab este ano."O fato de haver estas alianças municipais está dentro do prazo, porque daqui a alguns meses haverá eleições para a prefeitura", disse o presidente. Lula não quis falar sobre a posição do PT em Minas Gerais, em relação a alianças. Para o presidente, trata-se de uma questão do presidente do PT, Ricardo Berzoini, e do prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel. "Quero deixar claro que só participarei de campanha municipal se tiver um único candidato da base contra a oposição. Se houver dois, não estarei presente", destacou.Nesta semana, o PMDB que é da base aliada, fechou acordo para apoiar Gilberto Kassab (DEM), embora o PT estadual também estivesse negociando o apoio do PMDB para a candidatura Marta Suplicy. "As eleições municipais não estão na prioridade do presidente", reiterou Lula.Para ele, a unidade da base se dá no Congresso Nacional e está tranqüila. Lula disse não tem compromisso com nenhum partido, e não pediu compromisso algum para 2010. "Até porque não sou candidato", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.