Lula alerta para lei eleitoral em lançamentos de obras do PAC

Ao lançar obras do PAC emclima de comício nesta segunda-feira, o presidente Luiz InácioLula da Silva fez um alerta para que essas cerimônias evitem otom eleitoral. Segundo ele, a Justiça Eleitoral e a imprensaestão atentas a esses atos em um ano de eleição. "Está difícil lançar o PAC nesses tempos, porque estamosentrando em época de campanha (eleitoral)", disse em discursode lançamento de obras do Programa de Aceleração do Crescimentoem Osasco. "Vocês sabem que a gente tem o melhor relacionamento com aimprensa, a imprensa é extremamente democrática. Ela fala muitobem do governo todo dia. Então, a gente não pode dar pretextopara maus jornalistas possam fazer valer essa tese", afirmou. O evento em Osasco, cidade governada pelo petista Emídio deSouza, que é pré-candidato à reeleição, também contou com bandade música e ônibus transportando moradores de bairros carentes. Além disso, estava presente a ministra do Turismo, MartaSuplicy, potencial candidata do PT à prefeitura de São Paulo.Bandeiras e faixas do partido foram proibidas de entrar nolocal. "Não é legal, no lançamento do PAC, citar o nome de um oude outro", disse Lula referindo-se aos discursos feitos antes,que mencionaram o nome da ministra. Indicando que realiza obras do PAC com todos os partidos,Lula convidou o governador paulista José Serra (PSDB) paratodos os eventos no Estado e afirmou que ainda vai assinaracordo com o prefeito paulistano Gilberto Kassab (DEM). (Reportagem de Carmen Munari; Edição de Alexandre Caverni)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.