Lula agradece artistas e destaca criação de empregos

O presidente citou Chico Buarque e afirmou que ele teve coragem de dizer que gostava do governo porque não fala fino com os Estados Unidos e grosso com o Paraguai

Kelly Lima, da Agência Estado

19 de novembro de 2010 | 15h05

RIO - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva demonstrou um misto de emoção, bom humor e informalidade e fez vários agradecimentos nesta sexta-feira, 19, na solenidade de lançamento do navio Sérgio Buarque de Holanda, da Transpetro, que é a última cerimônia da qual participa em um estaleiro no País como presidente. Lula chamou o governador do Rio, Sérgio Cabral, de "Serginho" e pediu à cantora Miúcha, presente ao evento representando a família do homenageado, que agradecesse a seu irmão Chico Buarque pelo apoio à Dilma Rousseff na campanha eleitoral. O presidente encerrou o discurso com uma paródia dele mesmo ao mencionar sua frase clássica "companheiros e companheiras, nunca antes na história deste país...", imitando quem o imita.

No evento, Lula destacou a criação de mais de 200 mil novos empregos formais em outubro, perfazendo 2,5 milhões nos últimos dez meses, "enquanto os Estados Unidos diminuíram as vagas em 60 mil". "Eu tenho consciência de que não fiz tudo o que precisava ser feito, mas fiz mais do que muita gente imaginava que eu podia fazer. Muita gente que passou pela Presidência deve estar se perguntando: como é que um peão conseguiu fazer mais do que eu?"

No agradecimento a Chico Buarque, Lula afirmou que Buarque expressou claramente que ele, entre os artistas, "teve a coragem de dizer ''eu gosto deste governo porque este governo não fala fino com os Estados Unidos e grosso com o Paraguai''". "Nós não queremos falar grosso nem fino com ninguém. Nós não estamos subordinados política e intelectualmente a outros interesses", disse Lula.

O presidente também ressaltou a importância de ver mulheres fazendo o trabalho num estaleiro e lembrou da época em que era metalúrgico, quando era proibido que uma mulher fosse soldadora. Ao destacar a presença das mulheres, Lula citou Dilma Rousseff, "garantindo" ao governador Sérgio Cabral que haverá continuidade da parceria estabelecida entre o governo federal e o estadual. "Serginho, tenho certeza de que ela vai tratar o Rio até melhor do que eu. O Rio vai receber tudo o que tem direito. Embora tenha que cuidar de todos os estados, tem que ver que o Rio perdeu muito quando a capital saiu daqui, e é o melhor cartão postal do Brasil."

Lula ainda fez menção direta ao elevado número de eventos do qual participou com a diretoria da Petrobras. "Eu não sei se já teve algum presidente da República que vestiu tanto a camisa da Petrobras como eu", disse ele, admitindo: "Não sei se fui eu que ajudou ela ou a Petrobras é que me ajudou mais."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.