AE
AE

Lula agora 'largou' o Sarney, diz líder do PSDB no Senado

Na última quinta-feira, presidente afirmou que permanência de Sarney no cargo é um problema do Senado

CAROL PIRES, Agencia Estado

31 de julho de 2009 | 12h28

O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), disse nesta sexta-feira, 31,  que a mudança de tom do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em relação à crise do Senado era esperada, uma vez que, segundo o senador tucano, o presidente já havia abandonado outros aliados que passaram por problemas parecidos. "Lula já tinha largado ao mar o Renan Calheiros (senador do PMDB-AL), quando ele teve que ficar pedindo voto no plenário para não ser cassado, com uma humildade que já perdeu. Largou o Romero Jucá (senador do PMDB-RR) quando ele era ministro da Previdência e enfrentou denúncias. E agora largou o Sarney", disse Virgílio, em referência à declaração dada por Lula na quinta-feira, na qual ele afirmou que "quem tem de decidir se Sarney tem de ficar na presidência do Senado é o Senado", e não ele.

 

Veja também:

som Território Eldorado: senador da tropa de choque de Sarney ameniza 'descaso' de Lula

especialESPECIAL: a trajetória de José Sarney

lista Confira a lista dos 663 atos secretos do Senado

especialESPECIAL MULTIMÍDIA: Entenda os atos secretos e confira as análises

lista O ESTADO DE S. PAULO: Senado acumula mais de 300 atos secretos

lista O ESTADO DE S. PAULO: Neto de Sarney agencia crédito no Senado 

linkVirgílio:' Ameaça do PMDB é conversa de mafioso'

"A Lula só interessa duas coisas: que a sucessão do Sarney na presidência do Senado não seja inóspita ao governo, que não atrapalhe o poder de governança dele e a garantia de que o PMDB não irá deixar a base se sustentação. Como na sucessão do Sarney eles (governo) podem dar um jeito, e o PMDB não é de abandonar governo, ele (Lula) largou o Sarney", afirmou Virgílio.

O presidente do Senado é acusado de prática de nepotismo até a suspeita de desvio de recursos referentes a um patrocínio da Petrobras para a fundação que leva o seu nome, passando pelo favorecimento de seu neto na operação de um esquema de crédito consignado na Casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.