Lula afirma estar otimista com sua sucessão

O presidente Luiz Inácio Lula da Silvadeclarou nesta quinta-feira que está confiante com apossibilidade de conseguir eleger seu sucessor, em 2010. Entre os integrantes do Executivo, a chefe da Casa Civil,Dilma Rousseff, é a mais cotada para ser a candidata do governona eleição à Presidência da República. A ministra é aresponsável pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). "Estamos convencidos de que podemos fazer a nossasucessão", discursou o presidente a uma platéia desindicalistas, durante a cerimônia do 20o aniversário daConfederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM).Antes de ser eleito, Lula foi líder sindical dessa categoria. O presidente disse que seu governo conquistará nos próximosdois anos mais avanços na economia, mas reconheceu que ocrescimento econômico causou a falta de mão-de-obraqualificada. "Esse é um bom problema", comentou, antes degarantir que o governo está trabalhando para atender essademanda. Lula também voltou a dizer que os trabalhadores devemaproveitar o bom momento econômico do país para reivindicar aospatrões melhorias salariais e de qualidade de trabalho. "A horade brigar é essa. A economia está crescendo, as empresas estãocrescendo." O presidente aproveitou para prestar solidariedade aodeputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), suspeito departicipar de esquema de desvio de recursos do Banco Nacionalde Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O parlamentar,que é presidente da Força Sindical, dividiu o palco do eventocom o presidente e demais líderes sindicais. "O que aconteceu com o Paulinho já aconteceu com outros. Aúnica coisa que peço para todo mundo é que, na hora em queentrar a dificuldade pela porta, não joguemos a dignidade pelajanela. O direito de andar de cabeça erguida é uma coisa quenão tem preço", ressaltou. O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, reforçou o coro:"Estou contigo em todas as lutas, em todos os momentos". OConselho de Ética da Câmara apura as denúncias contra odeputado. (Reportagem de Fernando Exman)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.