Lula admite que crise prolongada nos EUA pode afetar Brasil

O presidente Luiz Inácio Lula da Silvareconheceu nesta terça-feira que a crise na economianorte-americana poderá afetar o Brasil caso se transforme numarecessão prolongada. Em discurso na reunião do Conselho de DesenvolvimentoEconômico e Social, no Palácio do Planalto, Lula falou em tommais grave sobre a crise dos EUA, que levou o Tesouronorte-americano a reformar o sistema financeiro do país, namaior intervenção desde a crise de 1929. "Sabemos que se uma recessão prolongada acontecer nos EUA,pode ter reflexo na economia mundial, e certamente o Brasil nãoestará imune", admitiu Lula, que até então vinha enfocando seusdiscursos nas possibilidades de o Brasil escapar ileso à crise. Segundo o presidente, a crise dos EUA preocupa todas aspessoas de bom senso, mas ainda é difícil ter a dimensão exatade seu tamanho e dos impactos que poderá ter. Lula comparou os desdobramentos da crise norte-americana auma CPI. "É como se fosse uma CPI, todo dia aparece umanotícia, todo dia aparece uma denúncia, ainda não temos oquadro montado da crise americana." O presidente disse aos 13 ministros e 90 líderes dasociedade que o Brasil se encontra em situação de menorvulnerabilidade do que no passado, mas acompanhando a crise dosEUA a cada momento. A nova política industrial que o governo prepara, e quepode ajudar o país a enfrentar a crise, poderá ser lançadadentro de 10 a 15 dias, contou Lula.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.