Lula adia de novo demarcação da área indígena em Roraima

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva adiou mais uma vez a decisão sobre a homologação da demarcação da reserva indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima, uma área de 1,7 milhão de hectares onde vivem cinco etnias e que está ocupada por produtores de arroz e posseiros brancos. Nem mesmo a aprovação pela Câmara e pelo Senado de dois relatórios propondo redução no tamanho da reserva, serviu para que o presidente definisse a questão.A tendência no governo é tentar um acordo para retirar os arrozeiros, manter a sede do município de Uiramutã, localizado dentro da área, e garantir às Forças Armadas o livre trânsito na área, que faz fronteira com a Venezuela e a Guiana. Em nota, a Secretaria de Imprensa da Presidência informou que o presidente Lula só tomará uma decisão depois que o Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região julgar recurso apresentado pela Advocacia Geral da União contra liminar de um juiz federal de Roraima que suspendeu parcialmente a portaria do Ministério da Justiça que demarcou a área. Na área de disputa, vivem 665 não-índios e 14.719 índios. A Funai informa que a maioria dos índios da área é a favor da criação da reserva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.