Celso Junior/AE - 02.07.2010
Celso Junior/AE - 02.07.2010

Lula absolve Dunga e diz que torcerá para Mercosul na Copa

Presidente disse que técnico teve 'mais prós do que contras' na sua passagem pela seleção

Pablo Uchoa, enviado especial, BBC Brasil

03 Julho 2010 | 08h11

ILHA DO SAL - Na chegada à Ilha do Sal, em Cabo Verde o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ter aprovado o trabalho do técnico Dunga no comando da seleção brasileira eliminada nesta sexta-feira, 2, pela Holanda e que passará a torcer pelas nações sul-americanas que restam na Copa do Mundo.

 

"Não adianta a gente tentar ficar achando que tem um culpado. Os jogadores fizeram o que tinham que fazer dentro do campo. Era o time que tínhamos. O time jogou bem e acho que o Dunga, se formos analisar os prós e os contras, tem mais prós do que contras", disse ele.

 

"É só pegar a quantidade de vitórias que as seleção teve sob o comando do Dunga e sob outros técnicos, você vai perceber que o Dunga foi um bom técnico", completou.

 

O presidente julgou a derrota, de virada após estar vencendo por 1x0 no primeiro tempo, como "coisa do futebol".

 

Final. Lula disse acreditar que as desavenças de Dunga com a imprensa no decorrer do torneio foram "um problema pessoal" do treinador.

 

A eliminação brasileira não mudará os planos do presidente de assistir a final da Copa do Mundo na África do Sul, dia 11 de julho.

 

"Tenho uma agenda, uma visita de chefe de Estado à África do Sul e o Brasil, como vai receber a Copa de 2014, estarei na final."

 

O presidente disse que a partir de agora passa a torcer para que as demais nações do Mercosul ainda presentes no torneio conquistem o campeonato.

 

"Eu agora sou Mercosul, tem Uruguai, Paraguai e Argentina com chances. Qualquer time do Mercosul que for a final, torço para ele", disse.

 

Neste sábado, 3, a Argentina enfrenta a Alemanha e o Paraguai, a Espanha, por vagas nas semifinais. O Uruguai, já classificado, enfrenta a Holanda na terça-feira.

Mais conteúdo sobre:
Lula Dunga Mercosul Copa

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.