Luizianne reúne-se com Dilma para definir disputa no CE

A ex-prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins, pode ter seu futuro político definido nesta sexta-feira, 7, após reunião com a presidente Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto, para discutir a sucessão estadual no Ceará. Isolada pelo partido no Estado, a ex-prefeita e atual presidente do diretório estadual recebeu o convite do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, para se filiar ao PSB e ainda mantém conversas com interlocutores do pessebista. "Eu estou avaliando a conjuntura, vendo o que está acontecendo", contou a petista em entrevista exclusiva ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado.

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

06 Junho 2013 | 20h12

A conversa com o presidente nacional do PSB aconteceu há pouco mais de um mês, após "cerco" do governador pernambucano e de boatos de que o governador do Ceará, Cid Gomes, e seu irmão, o ex-deputado federal Ciro Gomes, seriam expulsos do PSB por não se alinharem ao projeto presidencial de Campos. "Na época teve uma deputada do PT que disse: ''eles seriam muito bem-vindos no PT''. Aí eu fiquei louca. Aí eu topei falar com o Eduardo, que estava insistindo. Eu fiquei em pânico, foi aí que me acendeu a luz vermelha", revelou a ex-prefeita. Adversária política da família Ferreira Gomes, Luizianne disse que "não fica um dia no PT" se Cid e Ciro se filiarem ao seu partido.

De acordo com Luizianne, no encontro com o possível candidato do PSB à Presidência, ela disse que está há muitos anos no PT e que não via sua vida política fora do partido. No entanto, ela admitiu que se sentiu valorizada pelo governador. "Eu ouvi o que ele tinha a dizer, foi muito bacana. Ele soube do meu isolamento no Ceará e me valorizou como liderança", relatou. Nos bastidores, aliados de Campos afirmam que a estratégia de convidar a petista para o PSB é uma forma de apressar a saída dos irmãos Cid e Ciro. Procurado há um mês para comentar a proposta a Luizianne, Cid Gomes disse que não falaria sobre o assunto porque não acreditava que a notícia era verdadeira.

Além de Luizianne, a presidente Dilma também terá uma conversa com o líder do PT na Câmara, José Guimarães (CE), que pleiteia a candidatura ao Senado e tem o apoio da maioria do diretório estadual. A ex-prefeita, que hoje dá aulas a estudantes de Comunicação Social no Ceará e faz mestrado na área de Ciências Políticas três vezes por semana no Rio de Janeiro, disse que está "comendo o pão que o diabo amassou" desde que deixou a prefeitura. Mesmo desiludida com os rumos do PT no Ceará, Luizianne disse que não deu muitas esperanças a Campos, mas também não fechou as portas para o PSB: "Não sei para onde o PT vai".

Mais conteúdo sobre:
Luizianne Dilma CE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.