Luizianne é derrotada pelo vice, que faz presidente da Câmara em Fortaleza

A petista Luizianne Lins começou seu segundo mandato como prefeita de Fortaleza sob fogo amigo. Ela tomou posse rompida com o vice, Tin Gomes (PHS), e sem conseguir eleger o novo presidente da Câmara.O vereador Salmito Filho, apesar de também ser do PT, foi eleito presidente da Casa à revelia da prefeita. Mesmo com o apoio do governador do Estado, Cid Gomes (PSB), e do deputado federal Eunício Oliveira (PMDB), Luizianne não conseguiu fazer de Elpídio Nogueira (PSB) o novo presidente da Câmara. Eleger um nome do PSB para presidir o Legislativo municipal era parte de um acordo firmado ainda durante o período pré-eleitoral. O acerto previa que caberia ao governador Cid Gomes indicar o nome de seu primo, Tin Gomes, então presidente da Câmara Municipal, para ser o vice de Luizianne. Em contrapartida, ao PSB - aliado histórico de Luizianne - caberia receber o apoio da prefeita para eleger o novo presidente da Câmara. Mas, ironicamente, a rebelião contra o candidato apoiado pela prefeita foi articulada pelo próprio Tin Gomes. Em seu discurso de posse, a prefeita afirmou que se sentiu traída. "Estou triste por ver que se faz política com lealdade e gratidão, mas que, às vezes, ela também é feita com traidores e conspiradores", declarou Luizianne. Por diversas vezes em sua fala, ela condenou "a política da malandragem, da traição, da trairagem". E na saída da cerimônia desabafou com os jornalistas: "A vida é feita de traidores e de pessoas com dignidade". Cid Gomes, que acompanhou tudo, mostrou-se resignado. "Na política é assim. Ganha-se, perde-se. Faz parte", disse. Já Tin Gomes, depois de ver Salmito Filho eleito com 24 votos contra 16 do candidato de Luizianne, se retirou da Câmara e não acompanhou a cerimônia de posse da prefeita e nem mesmo tomou posse como vice. Ele negou ter articulado contra a petista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.